Pular para o conteúdo principal

UMA PESSOA COM UM VISTO B-1/B-2 PODE VIAJAR AOS EUA QUANTAS VEZES NO MESMO ANO?
O portador de visto Múltiplo (observe se no seu visto abaixo da palavra entries tem uma letra “M”) B-1/B-2 tem permissão para usar esse visto para solicitar a entrada nos Estados Unidos com a frequência que desejar e quantas vezes quiser, durante o período de validade do visto. A lei não exige que o viajante “retorne para casa” entre as visitas ou coloque um tempo mínimo específico entre as visitas; em teoria, um viajante pode deixar os Estados Unidos e voltar nesse mesmo dia para iniciar uma nova visita (e isso acontece ocasionalmente, embora seja mais comum com viajantes que entram nos EUA usando a entrada sem vistos do VWP ou canadense, em vez de viajantes com visto B-1 / B-2). O tempo autorizado para cada visita é juridicamente independente de qualquer visita anterior (com exceção de visitas interrompidas por uma breve visita ao Canadá ou ao México). Você não recebe o tempo não utilizado "adicionado novamente" em sua próxima visita e (novamente, com exceção de visitas interrompidas por uma breve visita ao Canadá ou ao México) uma nova visita não retoma o tempo autorizado anteriormente.
No entanto, a cada entrada, os funcionários de imigração do CBP avaliarão se o indivíduo que entra parece estar tentando imigrar usando um visto B-1 / B-2, e negará a entrada se este parecer ser o caso. Quanto mais tempo um indivíduo passar nos Estados Unidos no status B-1 / B-2 sem uma explicação confiável, em oposição a fora dos Estados Unidos, maior será a probabilidade de o indivíduo usar um visto de visitante para residir nos Estados Unidos, e negar a entrada nessa base. Não há diretrizes fixas sobre isso; em última análise, é a critério individual do oficial de imigração do CBP. Uma boa diretriz é ficar pelo menos tanto tempo fora dos EUA quanto se fica dentro do país; no entanto, esta não é uma regra difícil e é possível negar a entrada mesmo que esteja em conformidade com esta diretriz.
Um oficial de imigração do CBP pode, mas não é obrigado a, considerar o histórico de visita anterior para determinar o período autorizado de permanência em uma nova visita. É totalmente legal (embora improvável) que uma pessoa saia no final de uma visita autorizada de seis meses, depois retorne no mesmo dia e seja admitida para outra estadia autorizada de seis meses. (É muito mais provável que o indivíduo em tal situação seja impedido de entrar ou permitido apenas uma breve estada).
Além disso, um indivíduo que passe 183 dias ou mais em qualquer ano civil nos EUA no status B-1 / B-2 será, na maioria das circunstâncias, considerado residente nos EUA para fins fiscais e, portanto, estará sujeito ao imposto de renda de sua renda mundial. Assim, é geralmente contrário ao interesse de um visitante passar mais de 182 dias de qualquer ano civil fisicamente presente nos Estados Unidos. (A principal exceção a isso é uma pessoa que é um visitante admitido com o objetivo específico de obter assistência médica).
Outra consideração importante é: se na sua primeira entrada você disse ao agente de imigração que ficaria 30 dias, por exemplo, e fica 04 meses, na sua próxima entrada você será amplamente questionado sobre as razões de ficado este tempo a mais, e terá também que provar, ter recursos financeiros suficientes para se manter sem trabalhar, lembrando que o visto B1/B2 não permite trabalho remunerado nos EUA.

Law Offices of Witer DeSiqueira

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O FACEBOOK ESTARIA "AJUDANDO" O ICE A RASTREAR IMIGRANTES INDOCUMENTADOS NOS EUA

Relatório revela que a agência de controle de imigração monitora os movimentos dos indocumentados através da rede social As autoridades federais de imigração não só têm o poder de lhe pedir informações sobre sua conta do  Facebook no momento da entrada nos Estados Unidos, mas nos bastidores, tem uma equipe que monitora os movimentos dos indocumentados através da rede. O site Intercept, que em certa época serviu de plataforma para informações divulgadas pelo ex-funcionário da CIA Edward Snowden, revelou que o Serviço de Imigração e Alfândega (ICE) usa dados do Facebook para rastrear e localizar imigrantes indocumentados. O relatório é baseado em e-mails e documentos da agência que mostram o alcance do governo na interceptação de suspeitos. O relatório refere-se ao caso de um imigrante no Novo México, do qual os agentes conseguiram obter dados como: quando acessaram sua conta e os endereços IP onde ini…
CURIOSIDADE – QUEM DÁ NOME AOS FURACÕES?
Furacão Irma: Quem dá o nome aos furacões? O nome das tempestades tropicais alterna a cada ano entre homens e mulheres. Mas quem decide como chamá-los e por quê? IRMA.  É assim que o furacão mais forte já observado fora do Caribe e do Golfo do México é conhecido. Irma, que tem a categoria 5, já chegou às ilhas do Caribe de Anguilla, Antígua e Barbuda na quarta-feira a noite, em uma situação de alerta máximo, passou pelas ilhas de San Martín e San Bartolomé na quinta-feira, passando por Cuba, Porto Rico na sexta-feira e chegando na Flórida com os ventos máximo sustentado até 298 km / h no sábado. Assim, como o Irma todos os furacões trazem nomes de pessoas. Por quê? Evitar confusões. Simples! O uso de nomes próprios em vez de números ou termos técnicos destina-se a evitar confusões e a facilitar a divulgação de alertas. A lista de nomes para ciclones tropicais do Atlântico foi criada em 1953 pelo Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA e tem sido uti…
VIAJANDO PARA OS ESTADOS UNIDOS EM MÍNIMOS DETALHES – PASSANDO PELA IMIGRAÇÃO
Nesta semana, vamos abordar em detalhes, o momento da entrada nos Estados Unidos e a passagem pela Imigração.
Ao aterrissar em solo americano, você estará sujeito às leis daquele país, então deixe lado hábitos que podem ser suspeitos aos olhos deles. Ao chegar na Imigração, você será conduzido para uma das duas filas, a de prescreen, ou dos guichês com agentes do CBP (Customs and Border Protection). Se você for para o prescreen, você colocará sua mão em um aparelho de leitura digital, se pré-aprovado, você está livre para entrar nos EUA e ir direto para a retirada de bagagens. Você poderá negado por diversos motivos, como: falha na leitura das digitais, histórico de frequência na “salinha da imigração”, ou histórico negativo/suspeito nos Estados Unidos. Se for o caso, você será conduzido para o guichê do CBP.
Um agente do CBP é treinado para detectar pessoas e atitudes suspeitas, então perguntas serão feitas a …