Pular para o conteúdo principal

ICE E USCIS DESMONTAM REDE QUE OFERECIA CASAMENTOS POR U$ 20.000 PARA OBTER “GREEN CARD”.

Os imigrantes pagavam o líder do grupo para obter um "namorado ou namorado” estadunidense.

Através de uma rede controlada por um homem, os imigrantes pagaram mais de US $ 20 mil para fazer um casamento falso e obter o "cartão verde" e, eventualmente, a cidadania.

Suspeitas sobre o grupo começou em 2015, quando os agentes de Investigações de Segurança Interna (HSI) do Immigration and Customs Enforcement (ICE) trabalharam com o Secretário de Brevard County, na Florida, para investigar um aumento significativo no número de estrangeiros do Uzbequistão, Cazaquistão, Quirguistão e outros países ex-soviéticos que casaram com cidadãos americanos.

O líder do grupo, Dennis Yakovlev, admitiu ter facilitado pelo menos 50 casamentos simulados durante um período de 18 meses.

Cidadãos estrangeiros, que eram da Ucrânia, Rússia, Cazaquistão, Tajiquistão, Uzbequistão, China, Índia, Belarus e Turquia, viajaram para o condado de Brevard através dos Estados Unidos. Yakovlev alegou que ele normalmente recebia de US $ 1.000 a US $ 2.000 por casamento falso e que os casamentos nos EUA custavam entre US $ 10.000 e US $ 20.000.

O escritório de Cidadania e Serviço de Imigração (USCIS) ajudou na investigação que levou um júri federal a encontrar, entre outros, Valeriy Tsoy, um cidadão do Cazaquistão, culpado de fraude matrimonial.

A investigação também levou Zafar Bakhramovic Yadigarov, um cidadão do Uzbequistão, a declarar-se culpado de cometer fraude no casamento em 23 de julho.

"Muitos dos estrangeiros que participaram desses casamentos inicialmente entraram no país com vistos de estudante", disse a autoridade em um comunicado. "Nove indivíduos, incluindo Tsoy e Yadigarov, foram condenados por acusações de fraude conjugal durante o curso desta investigação."

Cada um enfrenta uma pena máxima de cinco anos em uma prisão federal.

Os casos foram investigados pela ICE, seu escritório de execução e deportação (ERO), a divisão de Detecção de Fraude e Segurança Nacional do USCIS, e o escritório do xerife do Condado de Brevard, com a assistência do Secretário do Tribunal do Condado.


Law Offices of Witer DeSiqueira

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O FACEBOOK ESTARIA "AJUDANDO" O ICE A RASTREAR IMIGRANTES INDOCUMENTADOS NOS EUA

Relatório revela que a agência de controle de imigração monitora os movimentos dos indocumentados através da rede social As autoridades federais de imigração não só têm o poder de lhe pedir informações sobre sua conta do  Facebook no momento da entrada nos Estados Unidos, mas nos bastidores, tem uma equipe que monitora os movimentos dos indocumentados através da rede. O site Intercept, que em certa época serviu de plataforma para informações divulgadas pelo ex-funcionário da CIA Edward Snowden, revelou que o Serviço de Imigração e Alfândega (ICE) usa dados do Facebook para rastrear e localizar imigrantes indocumentados. O relatório é baseado em e-mails e documentos da agência que mostram o alcance do governo na interceptação de suspeitos. O relatório refere-se ao caso de um imigrante no Novo México, do qual os agentes conseguiram obter dados como: quando acessaram sua conta e os endereços IP onde ini…
CURIOSIDADE – QUEM DÁ NOME AOS FURACÕES?
Furacão Irma: Quem dá o nome aos furacões? O nome das tempestades tropicais alterna a cada ano entre homens e mulheres. Mas quem decide como chamá-los e por quê? IRMA.  É assim que o furacão mais forte já observado fora do Caribe e do Golfo do México é conhecido. Irma, que tem a categoria 5, já chegou às ilhas do Caribe de Anguilla, Antígua e Barbuda na quarta-feira a noite, em uma situação de alerta máximo, passou pelas ilhas de San Martín e San Bartolomé na quinta-feira, passando por Cuba, Porto Rico na sexta-feira e chegando na Flórida com os ventos máximo sustentado até 298 km / h no sábado. Assim, como o Irma todos os furacões trazem nomes de pessoas. Por quê? Evitar confusões. Simples! O uso de nomes próprios em vez de números ou termos técnicos destina-se a evitar confusões e a facilitar a divulgação de alertas. A lista de nomes para ciclones tropicais do Atlântico foi criada em 1953 pelo Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA e tem sido uti…
VIAJANDO PARA OS ESTADOS UNIDOS EM MÍNIMOS DETALHES – PASSANDO PELA IMIGRAÇÃO
Nesta semana, vamos abordar em detalhes, o momento da entrada nos Estados Unidos e a passagem pela Imigração.
Ao aterrissar em solo americano, você estará sujeito às leis daquele país, então deixe lado hábitos que podem ser suspeitos aos olhos deles. Ao chegar na Imigração, você será conduzido para uma das duas filas, a de prescreen, ou dos guichês com agentes do CBP (Customs and Border Protection). Se você for para o prescreen, você colocará sua mão em um aparelho de leitura digital, se pré-aprovado, você está livre para entrar nos EUA e ir direto para a retirada de bagagens. Você poderá negado por diversos motivos, como: falha na leitura das digitais, histórico de frequência na “salinha da imigração”, ou histórico negativo/suspeito nos Estados Unidos. Se for o caso, você será conduzido para o guichê do CBP.
Um agente do CBP é treinado para detectar pessoas e atitudes suspeitas, então perguntas serão feitas a …