Pular para o conteúdo principal

ATRASOS NO AUMENTO DE VISTOS PARA TRABALHADORES SAZONAIS PODEM SE TORNAR TARDE DEMAIS PARA CERTOS SETORES

A falha em obter vistos aprovados para o H-2B (trabalhador sazonal) colocou em risco a indústria de frutos do mar de Maryland. Quase metade das casas de caranguejo da costa leste não tem trabalhadores que precisam pegar a carne quando a estação do caranguejo começa. A incapacidade do governo de atender às crescentes demandas de trabalho sazonais dos empregadores não só terá um impacto negativo na economia de Maryland, mas em outros estados com indústrias que dependerão de trabalhadores sazonais.

Para atender à escassez de mão-de-obra, muitos empregadores dependem do programa de vistos H-2B, que atrai pelo menos 66.000 trabalhadores estrangeiros ao país todos os anos para trabalhar em empregos sazonais não agrícolas.

As condições árduas de trabalho em muitas dessas indústrias - como os setores de caranguejo, pesca, paisagismo e silvicultura - contribuíram para a escassez significativa de mão-de-obra.

Como diretor da Chesapeake Bay Seafood Industries Association, Bill Seiling disse:

"Ninguém mais quer fazer o trabalho manual... É apenas um mercado de trabalho muito, muito apertado agora, particularmente em setores que são sazonais".

Este ano provou ser particularmente desafiador para muitas indústrias que empregam trabalhadores sazonais. O Departamento do Trabalho (DOL) recebeu um "nível sem precedentes de pedidos do empregador", para cargos que levaram a atrasos no processamento e na emissão de certificações. Assim, foi a primeira vez que as autoridades de imigração concederam esses vistos por meio de uma loteria, devido à alta demanda.

Os empregadores que buscam trabalhadores H-2B precisam de uma certificação de trabalho temporário do DOL emitida somente depois de atender a certos requisitos regulamentares, incluindo o recrutamento de trabalhadores americanos e aprovação do USCIS de uma petição de visto H-2B.

Os efeitos negativos dessas mudanças foram sentidos pelos negócios de caranguejo de Maryland. Dos 500 trabalhadores estrangeiros que foram necessários a cada temporada através do programa de vistos H-2B, os pedidos de cerca de 200 desses vistos foram negados em fevereiro deste ano.

Em resposta à crescente demanda por vistos H-2B nos últimos anos, a administração Trump em 19 de julho de 2017 concordou em aprovar 15.000 vistos adicionais para o trabalho sazonal do período anterior. Acredita-se que a administração anunciará em breve a liberação de outros 15.000 vistos adicionais. No entanto, quando o anúncio é formalmente feito, pode ser um pouco tarde demais. Como um dos proprietários das casas de caranguejo expressou:

"Não vai haver nenhuma carne de caranguejo de Maryland... parece que é uma questão de tempo antes que eles fechem todos nós."

Os Estados Unidos enfrentam desafios para atender às crescentes necessidades de mão de obra sazonal. Sem vistos adicionais para empresas que dependem do programa H-2B, eles não terão trabalhadores suficientes para fazer o trabalho.

Argumentos que trabalhadores estrangeiros temporários estão tirando empregos dos americanos nativos simplesmente não são verdadeiros. Pelo contrário, os trabalhadores temporários provaram ser essenciais para manter muitas indústrias vivas.

Law Offices of Witer DeSiqueira


OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O FACEBOOK ESTARIA "AJUDANDO" O ICE A RASTREAR IMIGRANTES INDOCUMENTADOS NOS EUA

Relatório revela que a agência de controle de imigração monitora os movimentos dos indocumentados através da rede social As autoridades federais de imigração não só têm o poder de lhe pedir informações sobre sua conta do  Facebook no momento da entrada nos Estados Unidos, mas nos bastidores, tem uma equipe que monitora os movimentos dos indocumentados através da rede. O site Intercept, que em certa época serviu de plataforma para informações divulgadas pelo ex-funcionário da CIA Edward Snowden, revelou que o Serviço de Imigração e Alfândega (ICE) usa dados do Facebook para rastrear e localizar imigrantes indocumentados. O relatório é baseado em e-mails e documentos da agência que mostram o alcance do governo na interceptação de suspeitos. O relatório refere-se ao caso de um imigrante no Novo México, do qual os agentes conseguiram obter dados como: quando acessaram sua conta e os endereços IP onde ini…
CURIOSIDADE – QUEM DÁ NOME AOS FURACÕES?
Furacão Irma: Quem dá o nome aos furacões? O nome das tempestades tropicais alterna a cada ano entre homens e mulheres. Mas quem decide como chamá-los e por quê? IRMA.  É assim que o furacão mais forte já observado fora do Caribe e do Golfo do México é conhecido. Irma, que tem a categoria 5, já chegou às ilhas do Caribe de Anguilla, Antígua e Barbuda na quarta-feira a noite, em uma situação de alerta máximo, passou pelas ilhas de San Martín e San Bartolomé na quinta-feira, passando por Cuba, Porto Rico na sexta-feira e chegando na Flórida com os ventos máximo sustentado até 298 km / h no sábado. Assim, como o Irma todos os furacões trazem nomes de pessoas. Por quê? Evitar confusões. Simples! O uso de nomes próprios em vez de números ou termos técnicos destina-se a evitar confusões e a facilitar a divulgação de alertas. A lista de nomes para ciclones tropicais do Atlântico foi criada em 1953 pelo Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA e tem sido uti…
VIAJANDO PARA OS ESTADOS UNIDOS EM MÍNIMOS DETALHES – PASSANDO PELA IMIGRAÇÃO
Nesta semana, vamos abordar em detalhes, o momento da entrada nos Estados Unidos e a passagem pela Imigração.
Ao aterrissar em solo americano, você estará sujeito às leis daquele país, então deixe lado hábitos que podem ser suspeitos aos olhos deles. Ao chegar na Imigração, você será conduzido para uma das duas filas, a de prescreen, ou dos guichês com agentes do CBP (Customs and Border Protection). Se você for para o prescreen, você colocará sua mão em um aparelho de leitura digital, se pré-aprovado, você está livre para entrar nos EUA e ir direto para a retirada de bagagens. Você poderá negado por diversos motivos, como: falha na leitura das digitais, histórico de frequência na “salinha da imigração”, ou histórico negativo/suspeito nos Estados Unidos. Se for o caso, você será conduzido para o guichê do CBP.
Um agente do CBP é treinado para detectar pessoas e atitudes suspeitas, então perguntas serão feitas a …