Pular para o conteúdo principal

O QUE É UM DOLEIRO?

Doleiros são operadores de câmbio do mercado paralelo ou às vezes denominado mercado ilegal de câmbio, ou ainda, câmbio negro, que formam um sistema bancário informal e denominado ilegal pelas autoridades governamentais.  Os doleiros estão na maioria dos países do mundo.  O mercado de câmbio brasileiro sem os doleiros se equipararia a países comunistas, ou seja devido ao excesso de regras sem fundamento a maioria das pessoas são forçadas a utilizarem o trabalho dos doleiros.

No Brasil os doleiros atuam na seguinte forma:
A - Compra de venda de dólar;
B - Administração de caixa 2 de empresas e partidos políticos;
C - Remessa de dinheiro ao estrangeiro para pagamento de importações; 
D - Transformação de dinheiro eletrônico em dinheiro vivo;

PORQUE ALGUÉM NORMAL PROCURA UM DOLEIRO?

Primeiramente, parece que o sistema bancário brasileiro foi criado para atender às grandes corporações e não para os pequenos e médios.  Hoje para se enviar qualquer pagamento para o estrangeiro, mesmo que seja uma operação legal é muito complicado. Com exigências absurdas e taxas de câmbio altas, além das taxas bancárias e IOF.

Como exemplo, nossa Law Firm tinha necessidade de fazer um pagamento a um meio de comunicação em Londres. Foram mais de cinco (5) tentativas de fazer tal transação pelo Banco do Brasil.  O BB com seus funcionários estatais despreparados uma hora colocavam o código errado, outra hora não aceitavam o invoice como prova da dívida e até mesmo chegando a não enviar, pois o valor era “demasiado alto” (menos de 15 mil Libras). Sem contar o prazo da análise da Mesa de Câmbio, para dizer que sim ou que não é 05 dias úteis e disseram NÃO.  Após isto, nossa empresa tentou utilizar o Banco Itaú com suas regras arcaicas de que o invoice estava em nome da empresa, com o nome de um dos sócios como responsável e os fundos estavam saindo de uma conta Pessoa Física deste mesmo sócio (proprietário da empresa, comprovado pelo Contrato Social juntado à ORPAG). Finalmente, nos restou o Banco Safra, que por se tratar de um banco que já opera no mercado internacional a quase 50 anos e a um câmbio altíssimo, fez toda a operação.

O governo com suas regras burocráticas tenta ludibriar o empresário dizendo que tais regras são validas para evitar fraude ou transferência ilegal de fundos para o exterior, mas foi totalmente incompetente de frear as remessas monetárias imensas que a LAVA-JATO trouxe a tona.

Ou seja, são desculpas para um sistema já falido.

Por essas é que muitas pessoas recorrem ao doleiro, que com a maior “boa vontade” recebe o valor no Brasil e faz o pagamento imediato em até 3 dias a quem de direito

A lavagem de dinheiro acontece sim por meio de doleiros, mas não aconteceria se a burocracia fosse amenizada e um sistema financeiro de países desenvolvidos fosse adotado

A lava-jato demonstrou que o sistema do governo brasileiro não funciona pois os grandes passam por cima das regras e os bancos nacionais se ajoelham ao poder corrupto.

Enfim, devido ao sistema criado pela burocracia brasileira, o doleiro, apesar de ilegal, se tornou um mal necessário para pequenos e médios empresários, empurrados a isso pelo próprio governo brasileiro.

Witer DeSiqueira, esq.
Law offices of Witer DeSiqueira



OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O FACEBOOK ESTARIA "AJUDANDO" O ICE A RASTREAR IMIGRANTES INDOCUMENTADOS NOS EUA

Relatório revela que a agência de controle de imigração monitora os movimentos dos indocumentados através da rede social As autoridades federais de imigração não só têm o poder de lhe pedir informações sobre sua conta do  Facebook no momento da entrada nos Estados Unidos, mas nos bastidores, tem uma equipe que monitora os movimentos dos indocumentados através da rede. O site Intercept, que em certa época serviu de plataforma para informações divulgadas pelo ex-funcionário da CIA Edward Snowden, revelou que o Serviço de Imigração e Alfândega (ICE) usa dados do Facebook para rastrear e localizar imigrantes indocumentados. O relatório é baseado em e-mails e documentos da agência que mostram o alcance do governo na interceptação de suspeitos. O relatório refere-se ao caso de um imigrante no Novo México, do qual os agentes conseguiram obter dados como: quando acessaram sua conta e os endereços IP onde ini…
CURIOSIDADE – QUEM DÁ NOME AOS FURACÕES?
Furacão Irma: Quem dá o nome aos furacões? O nome das tempestades tropicais alterna a cada ano entre homens e mulheres. Mas quem decide como chamá-los e por quê? IRMA.  É assim que o furacão mais forte já observado fora do Caribe e do Golfo do México é conhecido. Irma, que tem a categoria 5, já chegou às ilhas do Caribe de Anguilla, Antígua e Barbuda na quarta-feira a noite, em uma situação de alerta máximo, passou pelas ilhas de San Martín e San Bartolomé na quinta-feira, passando por Cuba, Porto Rico na sexta-feira e chegando na Flórida com os ventos máximo sustentado até 298 km / h no sábado. Assim, como o Irma todos os furacões trazem nomes de pessoas. Por quê? Evitar confusões. Simples! O uso de nomes próprios em vez de números ou termos técnicos destina-se a evitar confusões e a facilitar a divulgação de alertas. A lista de nomes para ciclones tropicais do Atlântico foi criada em 1953 pelo Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA e tem sido uti…
VIAJANDO PARA OS ESTADOS UNIDOS EM MÍNIMOS DETALHES – PASSANDO PELA IMIGRAÇÃO
Nesta semana, vamos abordar em detalhes, o momento da entrada nos Estados Unidos e a passagem pela Imigração.
Ao aterrissar em solo americano, você estará sujeito às leis daquele país, então deixe lado hábitos que podem ser suspeitos aos olhos deles. Ao chegar na Imigração, você será conduzido para uma das duas filas, a de prescreen, ou dos guichês com agentes do CBP (Customs and Border Protection). Se você for para o prescreen, você colocará sua mão em um aparelho de leitura digital, se pré-aprovado, você está livre para entrar nos EUA e ir direto para a retirada de bagagens. Você poderá negado por diversos motivos, como: falha na leitura das digitais, histórico de frequência na “salinha da imigração”, ou histórico negativo/suspeito nos Estados Unidos. Se for o caso, você será conduzido para o guichê do CBP.
Um agente do CBP é treinado para detectar pessoas e atitudes suspeitas, então perguntas serão feitas a …