Pular para o conteúdo principal

Decisão da Suprema Corte pode ter custado caro ao país
 A decisão da Suprema Corte americana que enterrou de vez com o plano imigratório de Obama para aliviar a situação de cerca de quatro milhões de pessoas vivendo irregularmente nos Estados Unidos pode vir com uma conta salgada para o país.
Segundo um estudo do Center for American Progress (CAP), o PIB americano perde quase $30 milhões a cada dia de atraso na reforma do sistema imigratório.
Na semana passada, a Suprema Corte bloqueou um programa do governo para proteger da deportação pais e mães de cidadãos americanos ou residentes permanentes.
O estudo do CAP sugere que o programa faria com que os trabalhadores indocumentados ficassem menos vulneráveis à exploração salarial, o que aumentaria os salários em pelo menos 8,5%.
“O que faz todo sentido”, disse Philip E. Wolgin, diretor do CAP, ao site de notícias Yahoo. “Se você é autorizado a trabalhar legalmente poderá usar sua força de trabalho para outros empregadores além dos que só querem pagar por baixo dos panos.”
Com o aumento da renda, os imigrantes poderiam gastar mais em bens e serviços, e assim incrementar o PIB. Sem falar que os salários gerariam também mais impostos.
O CAP avalia que o programa derrubado pela Suprema Corte poderia ter trazido para a economia americana um crescimento de $230 milhões durante a próxima década. Além disso, um estudo do Institute on Taxation and Economic Policy descobriu este ano que, ainda que os cerca de 11 milhões de imigrantes irregulares vivendo no país gerem $11,64 bilhões em impostos locais e estaduais, esse número poderia aumentar em $2,1 bilhões com uma reforma imigratória.
Agora que os programas de Obama foram derrubados, os indocumentados podem ter de esperar anos para uma mudança na situação.
“Parece que a luta acabou para o governo Obama,” disse Randy Capps, diretor de pesquisa no Migration Policy Institute, ao Yahoo. “No ano que vem haverá um novo governo, e o nome de quem ganhar a eleição vai fazer enorme diferença.”

Fonte: http://www.acheiusa.com/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

VISTO PARA TRATAMENTO MÉDICO NOS EUA

10 06 2015 PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE IMIGRAÇÃO PARA OS EUA
P - [FERNANDO]
BOM DIA,
EU E MINHA ESPOSA JA MORAMOS ILEGALMENTE NA FRANÇA E NA INGLATERRA DURANTE 5 ANOS.
EU JA FUI IMPEDIDO DE ENTRAR NA INGLATERRA EM 2003,
E MINHA ESPOSA JA FOI DEPORTADA DA FRANÇA.
GOSTARIA DE SABER SE ISSO AFETA DE FORMA NEGATIVA PARA CONSEGUIRMOS O VISTO DE TURISTA PARA OS EUA ??
SE OS EUA TEM ASCESSO AO NOSSO HISTORICO IMIGRATORIO, EM OUTROS PAISES.
SE TEMOS CHANCE DE CONSEGUIR O VISTO OU SE POR ESTES MOTIVOS ESTAMOS IMPEDIDOS DE CONSEGUIR O VISTO ??
DESDE JA AGRADEÇO. R – [LAW OFFICES OF WITER DESIQUEIRA] Olá Fernando, Obrigada por nos contatar. Não temos conhecimento de que os EUA compartilham informações sobre imigrantes ilegais com a França e a Inglaterra.  Sabemos que isso acontece com Canadá, Bahamas, Panamá, Porto Rico, Austrália e Nova Zelândia. Mas o que poderá aumentar suas chances de conseguir um visto de turista é comprovar renda e vínculos fortes com o Brasil. Mas se sua intenção é imigrar, existem vário…
PERGUNTAS E DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE IMIGRAÇÃO E VISTOS

COMO TRANSFERIR UM VISTO DE TURISTA PARA O VISTO DE ESTUDANTE? ESTANDO MATRICULADO EM UMA ESCOLA LÁ, FACILITA?R – Se a intenção é ir para estudar o correto é já sair daqui com o Visto de Estudante (F-1). Lá é possível fazer essa alteração de status sim, porém pode ser negado alegando fraude, ou seja, entraram com um visto de turista já com a intenção de ficar. QUAL A BUROCRACIA PARA SE MATRICULAR EM UM COLLEGE?R – Para se matricular num college deve apresentar o certificado e o histórico de conclusão do segundo grau traduzidos por tradutor juramentado, apresentar um sponsor (responsável) que comprove renda suficiente para mantê-lo nos EUA estudando, uma vez que, pela lei americana um estudante só pode trabalhar 20horas por semana. QUAL DOS DOIS É O “MELHOR” VISTO, CASO ENCONTREM A GENTE TRABALHANDO E ESTUDANDO DENTRO DO PAÍS?R – O visto de turista não dá direito nem a estudar, nem a trabalhar. O visto …